sábado, 24 de janeiro de 2009

Heresia



Todos os pecados, todos os palavrões, todos os sonetos, e todas as outras heresias, se fossem minhas, eu te daria. Ainda que eloqüentemente disfarce essa loucura ao te ver sorrindo, um sorriso assim contente.
Cantaria uma peça de Shakespeare, em uma sinfonia de passarinhos, como um solo lírico dessas Óperas que tu gostas. E assim, sem mais nem menos, de amor eu passaria a chamar-te de paixão, em plena luz do dia, na calçada, nua.

2 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Que lindo... que inveja... não sei de ti, por escreveres tão linda e docemente, ou de quem merece(rá) a sinfonia... e nua...
Beijo, com toda admiração e carinho

Lucas de Oliveira disse...

Herege que sou, me entrego à fogueira de teus versos!