sábado, 24 de janeiro de 2009

Samba torto

Hoje eu quero fazer um samba
Quero subir a ladeira
alinhar as minhas coxas
com as das moças lá do morro
Cada verso que eu faço
Perco o tempo do dinheiro
Mais nobre me sinto
Dama com cavalheiro
Quero um samba bem partido
com balanço e com gingado
Um andar assim marcado
Um coração arrebatado
Pelo sonho favelado
Comprar vestido bem colado
Ser a rainha da escola
Uma gata boralheira
com seu castelo encantado
Mas do que vale esse passeio,
se não tenho o tempero
das moças lá do morro...

2 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Que gostoso... bom de ler, de sentir... sua benção, poetinha!

Rogério disse...

Esse fica bom com solo de cuíca.