quinta-feira, 6 de março de 2008



A distância,
Da noite para o dia faz
Saudades, o que foi ou o que ia.
Mas em todo o final da linha
Guarda-se um segredo
Desses de menina,
Um mistério que faz do feio, belo,
E do choro, um ponto de partida.
Desconfio logo que seja a culpa,
por saber que, de perto, não suportaria.

9 comentários:

jorge-arildo disse...

.
Salve, Giu!
Feliz estou aqui,
Escapei por um triz alí,
Cheguei, gostei do que ví;
Sentí sorri, me imbui...
Sua mensagem toca sem alarde;
Poetar é coragem!
Insista nesta viagem!
.
Abraço-poético!
.

Ivan Santos disse...

...
Carta para Inocência

Não sabes que a poesia
Nos fazem miserávelmente solitários?
Teu consolo está nos versos de outra poesia
Porem, aí mora o mistério
Não existe união romantica entre poetas
Minha irônia é que estou apaixonado por palavras
Ainda assim, somos únicos
Cada um em seu próprio mundo
Só existe o "Eu".
Mas nem por isso me impede de dizer
"Eu te amo"
...

Giu, muito boa reflexão!

Gostei muito de saber deste teu novo blog, e já coloquei um link no meu. Vou vir sempre aqui quando quiser viajar.

Você escreve muito bem!

Larissa Marques disse...

Ave, Gil!
As distâncias nos fazem nós e não sós como pregam alguns, gostei do escrito.

André Luiz Rodrigues disse...

Ser sutil e simples é um dom de poucos, fia. Tu és.

MindLess disse...

voce diferente de outros poetas que conheci expoe em tao modestas palavras a profundidade que é mais que qualquer jogo de rimas ou metáforas

é um sentimento exposto
e não apenas um mero exprimir o presumível
encantador e sublime

merece meus parabens e minha admiração sem sombra de duvidas

Poetisa do cotidiano é como a vejo
e mais uma vez parabens

Bruno C. Neiva
(falaria mais, mas prefiri me conter)

Lucas disse...

Bela poetica.

Achei excelente, bem como eu gosto, com 3 colheres de açucar.

Ohzemesmo disse...

Aeee, fazia tempo que eu não gostava 100% de um poema seu. =D
Adoro-te de montão, e adoro mais ainda, encher seu saco. =*

Caio Augusto disse...

Me encanta esse texto...
Muito.

Abraços.

Amarílis disse...

"Desconfio logo que seja a culpa,
por saber que, de perto, não suportaria."
É bem verdade isso...

Parabéns pelos escritos.

Camila