sábado, 8 de março de 2008


Dos meus poemas:


Da feiticeira à cortesã

Das putas às crentes

Das dores pungentes

Das águas ardentes

Dos amores cadentes

Da desgraça da gente,

Meus poemas mentem..

8 comentários:

Lucas disse...

os opostos e contradiçoes das palavras, com a vida e junto a ela.

simples sucinto e grandioso em palavras e entendimento, eu gosto muito de ler as tuas poesias pois elas fecham muito com o que eu penso e como elas fecham, fecha na mente, na minha pessoalmente, e nao mente.

rs

Rosa disse...

Menina, você é um talento!

seu jeito de escrever convida, interessa, e supreende!

beijos e admiração assumida.

LEEH disse...

eu diria que se eles mentem, mentem de forma deliciosa e poética.

Eric Schnaider disse...

Giu,
deliciosa descrição de sua poesia. Me pareceu muito sentida, verdadeira mesmo.

Tenho visto outros poemas seus, e tenho-a em alta conta como poetisa.

E, concordo com o Leeh, "se eles mentem, mentem de forma deliciosa e poética."

:*, Eric.

reappel disse...

Linda!!! Adorei! Beijo!!!

Tâmara Rabelo disse...

Tia posso ser igual a você quando crescer?! Rsrsrs
Giu, que lindo seu blog, uma queda no oco de nosso intimo tão intimamente seu por um instante.
Um abraço poético de sua fã!

Narrador disse...

Interessante uma moça dos números ter tanta intimidade com as palavras...
Gostei.
Obrigada pela visita.

Ideologia Poética disse...

Pessoana garota, isto é ótimo. O que o fazes é por querer, e isto, como já disse, é ótimo...

Moça dos números? explique-se! (risos)...