domingo, 1 de fevereiro de 2009

Esbarrão

Não foi um encontro
Foi um esbarrão
Nada de romance
Nem de olhares ao chão
Uma raiva talvez
Tava atrasada
Final de mês
No outro dia quem diria
Você estava lá
Cheguei a achar que era perseguição
Mas sei lá qual razão
Fez-me frear
E agora não sei nem o que fazer
Foi ficando de vez
No meu lugar
Tanto que me acostumei
Ao olhar pro meu canto
E atirar-me ao seu lado.

4 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Que Deus te abençoe, para nos presentear sempre com suas palavras...
Que naturalidade... que facilidade... é isto que se chama de poesia?...rs
Todo respeito a ti e à tua poesia...
Beijo

...^^... TaTi - Um Pedacim ...^^... disse...

Palavras e Palavras.
Quantas Notas pra notar.

Abraços

Belas linhas!

Poeta do Simples disse...

a gente se esbarra...

sempre meninas dos versos!

Cel Bentin disse...

bacana a sacada. otexto tem movimento feito o nome. bela pegada!